Translate

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

SOU LOUCA

Sou louca

Louca sim, mas por você
Por você serei capaz
De gritar ate ficar rouca
E dizendo que te amo
Deixem que me chamem de louca
Por você serei capaz
De escrever milhões de vezes
Que te amo em coração
Na areia à beira-mar
Deixando as águas levar
Louca por um amor que me envolve
Hora me dar carinho
Outra hora me destrata
Hora me faz muito feliz
E em outra pouco a pouco me mata
Pode me chamar de louca
Todos conhecem o amor!
Mesmo que o tempo foi pouco
O muito deste amor te deixou
E em fração de segundo
Um louco amor se tornou.
(Ducarmo de Assis)


segunda-feira, 30 de agosto de 2010

IMPÕE UM FIM


IMPÕE UM FIM.
Cerca minha alma...
Arranca de mim este amor pudico
Arrasta meu coração pelas ruas se assim te satisfaz!
Deixar sangrar este coração ríspido, que não soube te amar
Sacrifica este corpo desacreditado nos teus sentimentos
Poe um fim nesta alma desvairada, priva-me da dor
Deste amor que você arrebatou
Vem por um fim!
Crava uma espada nas minhas entranhas
Faça-me silenciar este amor que nasceu pra ti
Desmancha este sonho restrito
Mesmo assim ainda vai restar, o muito deste amor.
Num pedacinho de mim.
***Ducarmo de Assis

segunda-feira, 21 de junho de 2010

AMOR DE UTOPIA


AMOR DE UTOPIA

Por que te amo?
Por que este coração te chama?
Hoje meu sonho é você,
Irresponsavelmente te amo,
Entreguei-me esta paixão oculta,
Que hoje brilha meu dia
Encanto-me em fantasias
Que não alcança ideal,
Este amor de utopia,
Mas imensamente prazeroso é indubitável
Agora receio, sei que não é meu exclusivo,
Mas me sinto no paraíso quando estou com você
Desvio-me! Sei que tudo é em vão
Por que o meu coração, não vai me obedecer
Mesmo que este amor, viva de fantasia
Sei que por toda vida
Eu vou sempre amar você.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O POETA

O POETA

Sabemos que os poetas é um ressuscitador
Ressuscita a saudade, ressuscita o amor.
Ressuscita a paixão, ressuscita ate a dor.
É no silêncio da calma no conflito da razão
Escreve versos e trovas falando de grandes paixões
Corre nas veias o sangue da saudade e do amor.
O poeta sim senhor! É um grande sonhador.

Qual poeta não fala! De amor nos seus versados
Os poemas sem amor ficam sem significado
Desprovido de ternura sem sentimento igual
Falta de imaginação falta amor no coração
Eterno são os poetas criadores e criativos
Criam amor criam ilusão mantém a paixão acesa
Nos seus versos ele mostra do amor toda a beleza

quarta-feira, 26 de maio de 2010

PROCURO-TE


PROCURO-TE

Eu cheguei pra ti encontrar
No lugar que combinamos
Mas como não te encontrei
Eu saio te procurando

As flores eu encontrei
Que foi guiando meus passos
Porem fiquei triste e sozinha
Porque não encontrei teus braços

Vou correndo procurando
Não desisto de tentar
Um dia neste caminho
Eu irei te encontrar

Vai sentir todo sabor
Desta paixão eloqüente
Mostrando ao mundo inteiro
Se me amas loucamente

***Ducarmo de Assis

terça-feira, 25 de maio de 2010

VEREDICTO


Veredicto

Já dei o meu veredicto
Agora estamos quites
Este nó esta desatado
Pode seguir seu caminho
Pois àquele grande amor
Que você abandonou
O cupido me salvou.
O erro foi corrigido
Entre lágrimas já vencidas
E as noites mal dormidas
Felicidade voltou
E para um coração sofrido
Novo amor ele flechou
Vai!Vai embora de uma vez
Esquece que te amei
Porque deste amor ferino
Já me libertei de vez.
                                                                    ***Ducarmo de Assis 25/05/2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

FAGULHAS

FAGULHAS

Quando o dia acabou e a noite foi chegando
Percebi que em segundos as fagulhas do amor
Que no meu coração ficou foram me incendiando

Foi renascendo em mim, o fogo de uma paixão
E os momentos felizes surgem fortificados
Fazendo-me acreditar que este amor enlevado
No coração fez morada e nunca vai acabar

Procuro te esquecer caindo em outros braços
Tentando enfraquecer este amor! Deixar morrer
Mas minha alma sofrida a paixão bata mais forte
Neste meu peito doido e volta fortalecida

Quisera que a saudade também no teu peito batesse
E dividisse a dor! Desta paixão eloqüente
Relembrando o nosso amor fazendo teu coração
Ser tocado com as fagulhas, e incendiar novamente

Onde estão àqueles sonhos as promessas que me fez
Quero voltar a sorrir encontrar um novo amor
Ou incendiar a paixão nos teus braços outra vez.

***Ducarmo de Assis

sexta-feira, 7 de maio de 2010

ESCRAVA DO AMOR

ESCRAVA DO AMOR

Eu já disse pra você, por favor, não me escreva
Suas cartas amorosas só me causam grande dor
Eu ainda estou tentando livra-me desta paixão
Resolvi não quero mais! Ser escrava deste amor

Não te procurei mais! Pois pensei que me esquecera
Eu procurei ser feliz, mas confesso é ilusão
Esta paixão não acaba quanto mais o tempo passa
Mais maltrata meu coração

Muitas vezes você disse não me esqueça meu amor!
Mais você não me ensinou, como eu poderia arrancar do peito a dor
Se você não me esqueceu, e cobra o meu carinho
Por que você não vem? Por que me deixa sozinha?

A saudade de você é como uma cruz pesada
Confesso que no meu coração a tristeza se instala
Eu crio fantasia e a dor da solidão invade a minha alma
E por te querer demais, aceito! Ser sua escrava.


 

sexta-feira, 30 de abril de 2010

segunda-feira, 5 de abril de 2010

ILUSÃO

ILUSÃO

Uma doce ilusão
Que o pensamento tem
Vem sempre de uma paixão
Carregando uma dor
No coração de alguém
Ilusão! Não sei de que
E também não sei por quê
É que em meu pensamento
Eu só encontro você
E dentro do coração
Eu procuro um espaço
Pra outra nova ilusão
Mas não vejo outra saída
Porque você não dar espaço
Vivi no meu coração
Pedaço da minha vida
É uma grande paixão
E uma doce ilusão

quarta-feira, 3 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

A SAUDADE

A SAUDADE

*** DuCarmo de Assis

Ela Veio Outra Vez
Percebo Que ELA ESTA semper Perto
Ela desperta Lembranças Que outrora me Morrer Senti
Mas em dado momento Vejo-me feliz.
E o riso da face Toma Conta
Enquanto relembra OS sonhos Quase mortos
Por conta do tempo, eles renascem
Acompanhado de Uma Lágrima
Deixa-me ébrio de Felicidade.
Foram momentos inesquecíveis
Mas Fomos afetados Pelas incompreensões
E sem Perceber o Tamanho da enxurrada
Que devastou ESTA Paixão
Fico com a solidão tão Minha
Estou frágil como horas parecem ter FIM não.
ESTA dor Que não transborda peito Não se afastará
Por que ELA Não me Deixa
ESTA saudade Não me Deixa Levantar
Ela Permanece em Mim

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

POR ONDE ANDA VOCÊ

POR ONDE ANDA VOCÊ?

Por onde anda você agora
Porque me deixou assim
Outrora você dizia
Que nunca me esqueceria
Mesmo que longe de mim

E agora o que fazer
Com um coração que chora
E espera toda hora
Um pouquinho de você
Mesmo que para sempre
Um adeus você dizer

Por onde anda você agora
Traga-me a alegria
Que você me avivou
E agora foi embora
E só tristeza deixou

Por onde anda você agora
Diga-me com altivez
Mata esta saudade
Fala-me toda a verdade
Ou me afasto de vez

***Ducarmo de Assis

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

ACASO



ACASO
Tudo começou em um acaso
Um belo dia ah! Que lindo dia
Te encontrei! Toquei-te, Dizia esta só
Foi então que te acompanhei
E em silêncio caminhamos
Segurei a sua mão
Percebi que num acaso
A sua mão deslizou
E o silencio quebrou
Quando as suas mãos
Com muita suavidade
O meu rosto segurou
E em um momento lentamente
Os seus lábios tocaram os meus
E foi assim em pensamento
Intensamente que viajei
Nem sei se agora estou triste
Ou se acaso sonhei
Só sei que você existe
Na minha vida na poesia.
***(Ducarmo de Assis)

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

HOJE EU QUERIA UM ABRAÇO


Hoje eu queria um abraço
Um abraço que eternize
Que sinta acariciar
Que faça sentir alegria
Que me faça energizar

Hoje eu queria um abraço
Para afastar a tristeza
Que me der muita emoção
Um abraço de amizade
Que acalme o coração

Hoje eu queria um abraço
Para sentir a energia
Sentir sua companhia
Sentir os braços envolvendo
O corpo com harmonia

Hoje eu queria um abraço
Que seja bem demorado
Que sinta companheirismo
Que neutralize a saudade
E concretize amizade

Hoje eu queria um abraço
Que tenha um efeito mágico
Com a eficácia da força
A delicadeza das flores
E a porção forte do amor
***(Ducarmo de Assis)

ARQUIVO